TÍTULO OUTORGADO EM 11/08/2010.
BLOG ATIVADO EM 28/11/2010.

O BRASÃO - Reg FBN 599.441

DESCRIÇÃO DO BRASÃO

**TOP BANNER: O Título Honorífico ► Barão de Burity ◄

**Encimando o ELM:

• ► O Pelicano ◄– indicando o amor e a caridade ao próximo.

**CHEST:

•► Um buritizeiro ◄ – em alusão à genealogia do nome.

•►Uma ampulheta ◄ – em alusão ao tempo que voa e a vida humana que se escoa, semelhante ao cair da areia.

•► Uma âncora ◄ – como emblema de uma esperança bem fundamentada e de uma vida bem empregada.

** BOTTON BANNER – a expressão latina Nulla dies sine linca ◄ – lema de Plínio – Representativa da vontade para que não se passe um dia sem escrever alguma coisa.

*AS CORES

Branca e vermelha

• ► Branca ◄ – em alusão ao triunfo dos eleitos e dos anjos.

• ► Vermelha ◄ em alusão ao zelo.

►◄►►◄►◄◄►◄

(Idealizado pelo condecorado)



Um brasão (brasão de armas ou cota de armas), na tradição européia, é um desenho especificamente criado - com a finalidade de identificar indivíduos, famílias, clãs, cidades, regiões ou nações.

►◄►►◄►◄◄►◄

A partir do século XIX, com a ascensão ao Poder da Burguesia e o declínio da Aristocracia, o Brasão foi perdendo a sua importância.

►◄►►◄►◄◄►◄
CRÉDITO DE IMAGENS.
Algumas obtidas na internet e alteradas com programa de edição de imagem.
Visualizar

A vida é uma jornada interessante, você nunca sabe onde ela te leva. Tropeços e valores. Reviravoltas. Você fica surpreso com sua vida. Às vezes, no caminho que você está seguindo, você pode pensar: "Este é o pior momento da minha vida".
Mas quer saber ? No final do caminho, das diversidades mais difíceis, para você conseguir o que você quer ser, você se lembra que o que não te mata o torna mais forte. E agora as diversidades não importam. Na espera para atingir o topo
você faz qualquer coisa. Mais alto que você queira que a tua vida esteja, mais alto você tem que ir. Sim, é meu dilema ! O que você tem que fazer para chegar mais longe em sua vida, é começar a olhar para o que você tem e agradecer o que você conseguir. Faça isso ! A vida é uma jornada, não um aleatório destino.
Ontem egresso da Baixada Fluminense... Um ex-Marujo... Hoje, de bem como a vida - acordado e energizado - acima de tudo agradecido a Deus por tudo que tenho e sou. Não há como renegar as minhas origens. Quem renega as suas origens, nega a si mesmo.

Visualizar

CURRENT MOON

Palavras de Nelson Madela

Ninguém nasce odiando outra pessoa pela cor de sua pele, por sua origem ou ainda por sua religião.
Para odiar, as pessoas precisam aprender e, se podem aprender a odiar, podem ser ensinadas a amar.

►◄►►◄►◄◄►◄

Palavras de C. Chanel

"O mais corajoso dos atos é ainda pensar com a própria cabeça."

quarta-feira, 19 de junho de 2013

SONHO OU PESADELO

"Conflito Social no Brasil" o título que o El País deu na primeira página de seu site para atrair os leitores para quatro artigos relacionados às manifestações no Brasil.
O Diário Espanhol  publicou que  "ninguém se atreve a dar um nome à surpresa que foi ver o Brasil às ruas convocado apenas pela internet ..."

Trata-se de uma convocação feita em redes sociais por adolescentes em que a orientação principal é não ter hierarquia. No que isso vai dar?
"O governo está perplexo", diz o texto, assinado pelo correspondente Juan Arias. "Ninguém esperava que esta multidão, formada por pessoas de todas as idades e de todos os grupos sociais saíssem às ruas de repente para dizer: "Queremos mudar o Brasil".
 
As passeatas de cunho pacifico  são um despertar de anos de silêncio - para expressar a insatisfação com a qualidade de  vida que o governo oferece, contra a corrupção e com o uso indevido do dinheiro público. 
 
 "Eles querem mais. A grande incógnita é como vão consegui-lo, quem cristalizará este protesto sem líderes", afirma o texto.
 
Artigo publicado no diário financeiro britânico Financial Times diz que os manifestantes estão cansados "de uma classe política que consideram ser corrupta e moralmente falida", e estenderam seus alvos para incluir a Copa do Mundo e a Copa das Confederações.

Tudo sonho ou realidade? Nunca é demais mantermos resguardado e aceso o "Fogo Sagrado" da família, do estado de direito, do bem público, da religião etc  que são os pilares que sustentam uma verdadeira democracia. Alguém, poderá achar que tudo isso não tem nada a ver com a nossa vida e nossa família. Ledo engano! Acredite! Se não fizermos a nossa parte, estaremos contribuindo para a derrogada dos valores morais, da honestidade e, consequentemente, jogando fora o futuro do nosso país. Ser um País (com letra maiúscula) de futuro significa enxergar os próximos anos por meio de planos e metas que precisam ser cumpridos, trabalhados, realizados para que tenhamos uma economia sólida e forte. O descuido de alguma dessas etapas pode criar uma situação perversa para nossos filhos e netos.

Será que tudo isto simboliza um princípio? Um início e sinal de mudanças que, mesmos com seus erros e excessos, nos conduzirão a um Melhor Brasil. Assisto de longe e meu coração bate forte.
 
As manifestações públicas visam expressar a insatisfação com a qualidade de  vida que o governo oferece: educação - saúde e segurança. Enfim, contra a corrupção. Contra o uso indevido do dinheiro público que favorece a chance para desvios de grandes somas de dinheiro alocados nos generosos orçamentos. As manifestações populares representam a chegada da população ao limite final da espera por uma sociedade verdadeiramente livre, justa, solidária, desenvolvimentista, sem pobreza ou quaisquer outras formas de desigualdades.
 
Antigamente, o trabalho duro, a dedicação e a lealdade eram o caminho para a segurança financeira. Plano que funcionou bem na antiga era econômica. Aqueles que ainda tentam viver de acordo com as regras antigas muitas vezes se vem frustrados e vivendo estilos de vida marcados por:
 
-Ambos os cônjuges trabalhando.
-Filhos indo para as creches.
-Adolescentes crescendo sem a presença dos pais.
-Mais horas trabalhadas e menos dinheiro no bolso.
-Frequentes mudanças de empregos, em função de dispensas, cortes e reduções nas empresas.
-Impossibilidade de se aposentar aos 65 anos.
-Tensões financeiras.
-Falência pessoal.