TÍTULO OUTORGADO EM 11/08/2010.
BLOG ATIVADO EM 28/11/2010.

O BRASÃO - Reg FBN 599.441

DESCRIÇÃO DO BRASÃO

**TOP BANNER: O Título Honorífico ► Barão de Burity ◄

**Encimando o ELM:

• ► O Pelicano ◄– indicando o amor e a caridade ao próximo.

**CHEST:

•► Um buritizeiro ◄ – em alusão à genealogia do nome.

•►Uma ampulheta ◄ – em alusão ao tempo que voa e a vida humana que se escoa, semelhante ao cair da areia.

•► Uma âncora ◄ – como emblema de uma esperança bem fundamentada e de uma vida bem empregada.

** BOTTON BANNER – a expressão latina Nulla dies sine linca ◄ – lema de Plínio – Representativa da vontade para que não se passe um dia sem escrever alguma coisa.

*AS CORES

Branca e vermelha

• ► Branca ◄ – em alusão ao triunfo dos eleitos e dos anjos.

• ► Vermelha ◄ em alusão ao zelo.

►◄►►◄►◄◄►◄

(Idealizado pelo condecorado)



Um brasão (brasão de armas ou cota de armas), na tradição européia, é um desenho especificamente criado - com a finalidade de identificar indivíduos, famílias, clãs, cidades, regiões ou nações.

►◄►►◄►◄◄►◄

A partir do século XIX, com a ascensão ao Poder da Burguesia e o declínio da Aristocracia, o Brasão foi perdendo a sua importância.

►◄►►◄►◄◄►◄
CRÉDITO DE IMAGENS.
Algumas obtidas na internet e alteradas com programa de edição de imagem.
Visualizar

A vida é uma jornada interessante, você nunca sabe onde ela te leva. Tropeços e valores. Reviravoltas. Você fica surpreso com sua vida. Às vezes, no caminho que você está seguindo, você pode pensar: "Este é o pior momento da minha vida".
Mas quer saber ? No final do caminho, das diversidades mais difíceis, para você conseguir o que você quer ser, você se lembra que o que não te mata o torna mais forte. E agora as diversidades não importam. Na espera para atingir o topo
você faz qualquer coisa. Mais alto que você queira que a tua vida esteja, mais alto você tem que ir. Sim, é meu dilema ! O que você tem que fazer para chegar mais longe em sua vida, é começar a olhar para o que você tem e agradecer o que você conseguir. Faça isso ! A vida é uma jornada, não um aleatório destino.
Ontem egresso da Baixada Fluminense... Um ex-Marujo... Hoje, de bem como a vida - acordado e energizado - acima de tudo agradecido a Deus por tudo que tenho e sou. Não há como renegar as minhas origens. Quem renega as suas origens, nega a si mesmo.

Visualizar

CURRENT MOON

Palavras de Nelson Madela

Ninguém nasce odiando outra pessoa pela cor de sua pele, por sua origem ou ainda por sua religião.
Para odiar, as pessoas precisam aprender e, se podem aprender a odiar, podem ser ensinadas a amar.

►◄►►◄►◄◄►◄

Palavras de C. Chanel

"O mais corajoso dos atos é ainda pensar com a própria cabeça."

sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

TAL GAIVOTA...


Tal gaivota coroando o espaço...
Entre encontros e desencontros, alegrias e tristezas...
Que eu seja levado em suas asas ao pináculo
para ouvir os cânticos do Alto...
Na certeza de que:
"O Senhor é nosso Pastor e nada nos faltará."
 

 


 

sábado, 3 de novembro de 2012

EM PRIMEIRA MÃO...


Hoje, recebi os exemplares do livro "EXPRESSÕES DA ALMA"
(comemorativo das minhas Bodas de Ouro com a Daise - 12/1/1963 - 12/1/2013)
que, se Deus quiser, será lançado no dia 12 de janeiro de 2013
nas dependências do Hotel Fazenda Santa Bárbara.



 

terça-feira, 30 de outubro de 2012

FALANDO DE HUMILDADE

Shakespeare certa vez disse: "O mundo inteiro é um palco e todos os seres humanos são apenas atores... onde representam muitos papéis."
Por outro lado Jo-Ellan Dimitrius, criminalista americana, consultora em mais de 600 julgamentos por juri, inclusive nos casos de Rodney King, quando Los Angeles quase implodiu numa batalha nas ruas, disse: "um futuro rei se mantém acima da multidão. A essência da arrogância é tentativa de se elevar acima dos outros. Um verdadeiro príncipe anda misturado à multidão. O cerne da humildade é o reconhecimento de que seja qual for o status de uma pessoa, ninguém é melhor nem pior do que ninguém."
Dito isto, falando de humildade entendo mister tenhamos uma antevisão permissiva de ações proativas na sociedade e não meramente reativas.
A humildade nos impõe sejamos reestruturadores da sociedade, misturados na multidão e nela atuando como exemplo inspirador.

"Ser humilde com os superiores é obrigação,
com os colegas é cortesia, com os inferiores é nobreza."

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

DEUS, POLÍTICA E FUTEBOL...

Antigo porém aplicável aos tempos modernos...
 
 
 
Deus, política e futebol não se discutem,
assim como várias outras questões que envolvam simplesmente
gosto e personalismos.
Melhor debater sobre coisas que envolvam menos emotividade.
.

terça-feira, 9 de outubro de 2012

DIVULGAÇÃO... DEMOCRACIA

Por: Alexander Man Fu
 
UMA LINDA FESTA DEMOCRÁTICA
 
Como todos os brasileiros, no último domingo, acordei bem cedo com o espírito renovado e pronto para exercer o meu direito como cidadão. O relógio indicava 10 horas e 33 minutos e os termômetros marcavam seus 30° Celsius.

            Ao pegar a via observei um intenso tráfego de pessoas e automóveis que pareciam estar “alucinados”... Tudo levava-me a crer que era para exercer a cidadania e fortalecer a Democracia. Aliás, Democracia é uma palavra de origem grega, cujo significado é governo do povo. Entretanto, no sistema moderno, o povo não governa – o que representaria uma democracia direta – os atos de governo são exercidos por membros escolhidos pelo povo, ditos “politicamente constituídos”.

            Na calçada deparei-me como várias situações: jovens, muitos idosos - estes sem a real necessidade de votar - cadeirantes, deficientes físicos... todos felizes, contando com a solidariedade do povo, dirigindo-se para as suas respectivas zonas eleitorais.

Que cena magnífica!

Mas, nem tudo é magnífico. Diante de tanta aglomeração, o chão era tomado pelos panfletos distribuídos por “cidadãos” que aceitavam distribuí-los em troca de algum “benefício”. - Longe de mim aqui julgar a atitude de alguém! A bem da verdade é que mais adiante presenciei pessoas correndo e aclamando por socorro. Naquele momento tinha ocorrido um atropelamento, cuja vitima era, justamente, àquela que a poucos minutos atrás aceitava distribuir santinhos e trocar o seu voto por “benefício”. Diante do olhar de todos os presentes ela agonizava e o povo tentava ao seu redor diminuir a intensidade dos raios solares. O mesmo que ofereceu-lhe o “trabalho” em troca de voto, aproximou e indagou-a se havia votado. Mesmo agonizando, ela disse-lhe que não. Logo após, ela suspirou pela ultima vez e entrou em estado de óbito sobre o solo que fervia. O homem, sem modéstia, recolheu o “beneficio” de seu bolso e seguiu ao “recrutamento” de um novo “trabalhador”.

Até aquele momento, eu não havia chegado à minha zona eleitoral. Decidi, mesmo anestesiado com todos os ocorridos, pegar o meu carro e com a mesma motivação cumprir o meu objetivo: exercer a minha cidadania.

Ao trafegar pela orla tive uma nova e grande surpresa: toda a sua extensão estava tomada por milhares de pessoas que buscavam bronzear seus corpos, bebiam e praticavam esportes... naquele momento, um nó tomava conta da minha mente.

Então, para reorganizá-la optei em estacionar o carro. Cheguei ao quiosque e, diante de tanto calor, saboreei uma doce e saudável água de coco que alimentou o meu corpo e acalmou o meu espírito; quando pude refletir sobre os fatos ocorridos, fazendo algumas indagações: - Àquelas pessoas “alucinadas” estavam querendo exercer que tipo de cidadania? - Acordar cedo, “atropelar” as pessoas para chegar à sua zona eleitoral ou ser rápida para demarcar a sua zona na imensa extensão de areia da praia? – Ter a oportunidade, diante das dificuldades do dia-a-dia, de abrir mão do seu voto em troca de uma “ajudinha” e melhorar o seu orçamento?

De qualquer maneira, existirão várias indagações, interpretações, questionamentos, justificativas... Devemos agradecer aos Atenienses (Gregos) pelo surgimento da Democracia nos ditos da antiguidade que reúne princípios e práticas que protegem a liberdade do ser humano contra a tirania. Nela encontramos algumas características: igualdade perante a lei sem distinção de sexo, raça ou credo; educação; direito ao livre exercício de qualquer trabalho ou profissão; ao laser; ao voto... aliás, no Brasil, é facultado para os analfabetos, os maiores de 70 anos, os que tenham entre 16 e 18 anos e obrigatório para os maiores de 18 anos.

Por derradeiro, precisamos fomentar a chamada “consciência política” em todos os cidadãos, não só no dia da eleição ou na época da campanha eleitoral, pois ela fundamenta o princípio básico do funcionamento da democracia moderna dando direito de participarem dos assuntos de interesse coletivo a partir do voto escolhendo o seu representante.

Graças a Deus e a Democracia consegui chegar a minha zona eleitoral e, motivado, exercer o direito como cidadão.

Todos nós tivemos a oportunidade de escolher a melhor opção no último domingo: votar, curtir a praia, abster-se...

Os votos já foram apurados, os resultados já são conhecidos e cada um de nós eleitor colhera os frutos dessa linda festa democrática durante os próximos quatro anos.

Viva a DEMOCRACIA!!!
 

 

sábado, 22 de setembro de 2012

PALESTRA...

Um das atividades realizadas nas Academias de Letras, no Rio de Janeiro, denomina-se PALESTRA.
No dia 12 de setembro pp. realizei palestra na Academia Brasileira de Meio Ambiente -ABMA.


 
 
 



quarta-feira, 22 de agosto de 2012

ALTERIDADE

O que é qualidade da alteridade?
Resposta: - É o dom que  permite perceber que as outras pessoas são outras pessoas e que devemos respeitá-las . Diferentemente de muita gente que tenta "transformar" os outros em "continuações de si mesmas".

 


Necessário se faz compreendermos, sem discriminações, as diferenças e peculiaridades entre homens e mulheres, entre o masculino e o feminino. Compreensão que não deve ser “jogada” . Tenha, sempre em mente, que todas as pessoas não são como você.
Há pessoas que levam tudo ao “pé da letra”. Outras dizem que o bom da vida “é ser feliz...” Outras transformam a vida “num dilúvio e num trágico drama”.  Outras não choram nem “ o leite derramado”.
Portanto, no uso da qualidade da alteridade, pelo visto, o grande lance é encontrar o equilíbrio.
Para que haja respeito entre todos é necessário que em todos haja um muito de alteridade. (Murilo Moiana) 
Vamos tentar?
(Pesquisa)
 
 

domingo, 19 de agosto de 2012

JIN JI DU LI

http://homeopatiaparamulheres.blogspot.com.br/2012/08/jin-ji-du-li-um-exercicio-da-medicina.html

"Jin Ji Du Li" Um exercício da Medicina Tradicional Chinesa.


"Jin Ji Du Li"

Por Elisa Costa e Geni Casemiro

É um exercício milenar e pertence a cultura chinesa, faz parte do livro canônico da saúde e dos exercícios oficiais da China. Tão ou mais antigo que as fórmulas magistrais.


Se você consegue ficar na posição do exercício de olhos fechados, por 1’, isso é bom, mas se não, isso significa que seu corpo está envelhecido, sem vitalidade e seu organismo e meridianos estão desequilibrados. Não vale pra quem tem labirintite, que podera fazer o exercício de olhos abertos, diariamente por 2 messes, depois pode ir tentando devagar..olhos meio abertos e etc...



O exercício é simples e eficaz, aumenta a confiança em sí mesmo, reforça as pernas, ajuda na circulação de energia dos meridianos ... afinal de contas são 6 meridianos que alcançam os pés, ajudam no senso e sentido do equilíbrio físico e emocional, no controle da Hipertensão; na regulação de altos níveis de açúcar no sangue ou diabetes;nas doenças da coluna vertebral;deficiências no pescoço como torcicolo constante e também pode impedi-lo de sofrer de demência senil.


Fique sobre uma só perna, com os seus olhos abertos. É só isso.eleve mais ou menos os braços e mantenha a respiração. Faça isso por 1’ de olhos abertos. Pronto. Agora faça o mesmo de olhos fechados.Se não conseguir passar dos 50 seg e você só tem 40 anos, significa que seu corpo está mais velho que a sua idade.

Para os chineses a prática frequente e regular do "Jin Ji Du Li", pode ajudar a restaurar o sentido de equilíbrio.
Na verdade, os especialistas chineses sugerem que a prática diária por 1 minuto, podendo ajudar a prevenir a demência. Você acaba precisando exercer a concentração e isso é muito bom. de acordo com o entendimento de médicos chineses, a doença pode aparecer no corpo devido a problemas surgidos na coordenação entre os vários órgãos internos, o que faz com que o corpo perca o seu equilíbrio. Jin Ji Du Li pode zerar esta inter-relação dos órgãos e como eles funcionam juntos, pode realinhar seus meridianos. Zhong Li Ba Ren (especialista de saúde )costuma dizer que a maioria das pessoas não consegue ficar sobre um pé com os olhos fechados por 5 segundos, mas depois, praticando todos os dias, são capazes de fazer por mais de 2 minutos.

Quando você conseguir ficar mais tempo, a sensação de peso desaparece. Ao praticar Jin Ji Du Li, você vai notar que sua qualidade do sono fica melhor, a mente limpa e melhora a memória significativamente.

Este método é capaz de se concentrar a consciência e canalizar o corpo até os pés.Este método é capaz de se concentrar a consciência e canalizar o corpo até os pés.

Problemas como a gota também poderá ser prevenido.
Cura doenças básicas como "Pés Frios" e também ajuda a reforçar a imunidade do corpo.

Homeopatas dos Pés Descalços

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

DEUS É...







Quem pensa que sabe não sabe...
É um ser que transcende a língua e a arte...





O Poder do Mito [Vol.6] Joseph Campbell & Bill Moyers






Entrai pelas portas dele com gratidão, e em seus átrios com louvor;
louvai-o, e bendizei o seu nome.
Salmo 100:4


terça-feira, 14 de agosto de 2012

NÃO É BOM IGNORAR A FORÇA VIVA...




Palavras de Fernando Henrique Cardoso:


"O Brasil de hoje é o país das Bolsas (família, gás, luz etc), o que resultou na felicidade geral. Daí o apoio ao governo.

Com a prosperidade das Bolsas, as pessoas perderam a motivação para debater. Não há mais debate.

A classe média ficou de fora.

O debate se deslocou para a mídia. É por isso que o governo acusa a mídia de oposição. Porque é a única instituição que fala e o povo ouve."

Sem sombra de dúvidas, a opinão pública pende mais para o que diz a mídia do que para as palavras dos políticos. Entretanto, devido à falta de censo crítico, a mídia acaba se tornando uma forma de manipulação da opinião pública, transmitindo as ideologias dos grupos dominantes. Com isto, a mídia aliena a população, espalha a política da conformidade e, no fim das contas, acaba ajudando aos que estão no poder a manejarem a a massa que compõe o grande povo do  país.

Não é bom ignorar a força viva de um povo.  A história está repleta de exemplos.


sábado, 11 de agosto de 2012

FALANDO DE HONESTIDADE

A primeira tentativa é de folclorizar quem enfrenta o sistema, quem luta pelo que pensa e quem é honesto.

Sou um ser humano como qualquer outro, erro, falho, caio, levanto e todos os dias estou aprendendo. Mas, mesmo diante das dificuldades, desde que me entendo como gente os meios não justificaram os fins e, sempre, entendi que a honestidade de propósitos não é mérito e, sim, é uma obrigação de todo ser humano.

Por definição honestidade é uma qualidade de ser verdadeiro: não mentir, não fraudar, não enganar. A honestidade é ter honra - significa falar a verdade, não omitir, não dissimular. O indivíduo que é honesto repudia a malandragem e a esperteza de querer levar, em tudo, vantagem (Lei de Gerson que na cultura brasileira é um princípio em que determinada pessoa age de forma a obter vantagem em tudo que faz, no sentido negativo de se aproveitar de todas as situações em benefício próprio, sem se importar com questões éticas ou morais. A "Lei de Gérson" acabou sendo usada para exprimir traços bastante característicos e pouco lisonjeiros do caráter midiático nacional, associados à disseminação da corrupção e ao desrespeito a regras de convívio para a obtenção de vantagens pessoais.)
Honestidade, de maneira explícita, é a obediência incondicional às regras morais existentes. Não quero ser mais realista que o rei, razão pela sei que exercer a honestidade em caráter amplo, é muito difícil, porque existem as convenções sociais que nem sempre espelham a realidade, mas como estão formalizadas e enraizadas são tidas como certas.

Atualmente, o conceito de honestidade está meio que "deturpado", uma vez que os indivíduos que agem corretamente são chamados de "careta", ou são humilhados por outros.
Finalizando, entendo como pertinente trasncrever de autoria de Luiz Carlos Rodrigues:

A HONESTIDADE RENASCERÁ

Honestidade, raridade deste país de espertezas,
Onde política é escola para ficar rico da noite pro dia,
Onde a miséria é inerente nesse país de riquezas,
Onde se pune a verdade e glorifica a mentira.

O que enobrece a nossa elite é a esperteza,
Incentivando aos nossos jovens que roubar vale a pena.
Honestidade neste país é sinal de pobreza,
De quem não terá nada, de quem se apequena.

País onde a esperteza nem pensa em ser sutil,
Onde a justiça é cega e não vê esses matreiros.
Onde o lixo vira comida nesse rico Brasil,
Pois a miséria e a fome são do povo companheiro.

Por que essa avareza de brigar pelo poder e riqueza?
Por que não dividir as riquezas que a natureza nos dá?
Pois pertence a todos e não a esses imbecis que usam de espertezas.
A honestidade morta não tardará, ainda renascerá...

terça-feira, 24 de julho de 2012

SOCIDADE GLOBALIZADA

 Vivemos em uma sociedade globalizada... Que nos permite contato com pessoas do outro lado da cidade, de outro país e até do outro lado do mundo.

Os mesmos avanços tecnológicos que nos permitem tão extraordinários acessos, nos impõe um preço: fazem com que nossos contatos pessoais se tornem relativamente raros.
Por que reunir pessoalmente, se podemos usar e celular, deixar uma mensagem. Melhor que telefonar é passar um e-mail.
Fechar os olhos - e as mentes - para o desconfortável ou pertubador, faz parte da natureza humana. Outros perderam a capacidade de indignar... a capacidade de se indignar é fundamental para a saúde de uma sociedade. A expressão "dissonãncia cognitiva" descreve tal fenômeno. Um dos sintomas da "dissonância! é a recusa de aceitar o óbvio, criando forma de pensamente ilusório: difícil enxergar a verdade, principalmente, quando não queremos vê-la.

Estamos nos instalando no ciberespaço. Palavra estéril, gerada eletronicamente, sem o benefício de ver a pessoa, falar com ela, olhar nos olhos. É de se lembrar o que Laurence Peter disse: "Se você não sabe para onde está indo, provavelmente, vai acabar em outro lugar."

O planeta virou pelo avesso... o inversão de valores salta aos olhos... o certo é o errado e o errado é certo.


quarta-feira, 18 de julho de 2012

SILÊNCIO

Silêncio
Brahma Kumaris

Seja qual for a situação, vá fundo no silêncio
e veja o poder que vem de dentro.
Silêncio interno profundo é a medicina
que promove a cura de ferimentos e mágoas
... do passado. Quando há silêncio, novas ideias
florescem, talentos são fortificados
e tudo se acomoda facilmente.




O silêncio e o desprezo incomodam e queimam muito mais do que qualquer resposta. Devemos ser cortês com todos, sociável com muitos, amigo de algumas pessoas e inimiga de nenhuma. Tudo isto, independente daquilo que as pessoas lhe desejam ou façam.


Nosso mundo hojeClarice Pacheco

O mundo está perdido!
Tantas mortes e destruição.
Tantos estragos e poluição.
Tanta gente de fome morrendo.
Tantos animais extinguindo-se e desaparecendo.
Tanta gente rica que não reparte com ninguém.
Tantos problemas que os governos têm.
Tantas guerras arrasando nações.
Tantos acidentes, tantas explosões.
Tantas pessoas analfabetas, tantas sem onde morar.
Tantos adoecendo, sem remédio para se tratar.
O ser humano perdeu a razão.
Se afogou na própria ambição.




quinta-feira, 12 de julho de 2012

CONVIVÊNCIAS E CONVENIÊNCIAS

Uma das vantagens do envelhecimento é o aumento diferenciado da sensibilidade para sobreviver na correnteza do individuaismo no mundo hodierno. Passamos, mais do que ontem, a entender que as dificuldades são como montanhas que se aplainam quando avançamos sobre elas.
Vivemos, ensinando, aprendendo, caímos, levantamos para chegar a algumas conclusões...  A idade chegou... com os ossos fragéis, a carne mole e os cabelos brancos, é hora de mudar o foco das convivências e conveniências. Xô individualismos competitivos. Xô fofocas. Xô hipocrisias.
Os problemas são parte do curriculum, que aparecem e desvanecem como uma aula de álgebra, mas as "lições" que se aprende perduram a vida inteira. São marcas gravadas em nosso "psique" que nem Sigmund Freud explica.
Nas palavras de Henry Ford: "Se o dinheiro for a esperança de independência, jamais a teremos. A única segurança verdadeira consiste na reserva de sabedoria, de experiência e de competência."
Que tenhamos o gesto generoso: - Pelo sangue que Cristo derramou na cruz perdoe aqueles que te ofendem e caluniam. Perdoar não é esquecer, mas lembrar sem sentir dor. É preciso ter coragem de vencer ressentimentos, as mágoas, a traição e a ravia. É necessáio romper com todos esses sentimentos negativos. Eles geram doença, geram a morte!

Que ao invés de lamentarmos por nosso problemas, agradeçamos ao Senhor Deus por um dia. Foi o presente que Ele nos deu que é a oprtunidade de recomeçarmos.

Nas palavras de Chico Xavier:
"Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer um pode começar agora e fazer um novo fim."

terça-feira, 10 de julho de 2012

O SER E O TER...

O SER E O TER

Em nossa sociedade de consumo, com seus infindáveis apelos aquisitivos, possessivos, o Ter adquiriu uma importância desmedida e desproporcional.
Não se deve, todavia, imputar toda a culpa dessa aberração à sociedade, que nada mais é do que o somatório das mentalidades individuais.
È bem verdade que a sociedade reforça as tendências já existentes no indivíduo, mas o ponto de partida de todas as tendências positivas ou negativas é sempre o indivíduo, não a sociedade.
Nenhuma sociedade, com todos os seus frenéticos apelos e condicionamentos, poderia induzir Mahatma Ghandi, Albert Shweitzer ou Madre Tereza de Calcutá a serem consumistas ávidos de posses materiais, nem hedonistas ávidos de prazeres sensoriais.
Se esses e outros seres que estão na vanguarda evolutiva da humanidade se mostraram imunes a isso, os demais também estarão em algum momento do futuro, mesmo ao custo de muito tempo, sofrimento e desilusões.
A possessividade está ligada a um grau intermediário da evolução humana, em que a mente já está bastante forte para moldar os clichês de seus objetivos e alcançá-los devido ao poder da mentalização, da persistência e da inteligência.
Mas ainda não está bastante forte para neutralizar seus apetites primários e egoístas e pensar mais nos outros do que em si mesmo.
Nessa etapa da evolução, a ânsia de ter é inevitável e não deve ser condenada de forma absoluta, salvo os excessos, desequilíbrios e os métodos desonestos usados para aquisição.
É claro que para se conseguir alguma qualidade de vida, é necessário ter um mínimo de posses, tais como moradia, alimentos, vestuário e alguma garantia de suprimento dessas necessidades básicas. Mas daí a ter uma enorme quantidade de bens, privando outros seres do acesso a eles, vai uma grande distância.
O ter em excesso e principalmente os apegos aos objetos de posse, obstrui o ser e causa infelicidade. O ter pode causar prazer momentâneo, porém, esse prazer logo se transforma em tédio, saturação e embotamento.
No final, o possuído se transforma em possuidor, e o homem, escravo daquilo que possui.
O ser não pode se manifestar, quando obstruído por tantos “penduricalhos”. A ausência de autocontato, de conexão com o ser essencial é uma das causas mais comuns de alienação e angústia.
Os adeptos da chamada “teologia da prosperidade” se apegam a frases isoladas do texto bíblico , distorcendo seu significado de acordo com seus interesses. Jesus disse de fato: “Buscai primeiro o Reino de Deus e tudo o mais lhe será dado por acréscimo”.
Obviamente está implícita e embutida nessa sentença o sentido de que tudo o mais que necessitais para vossa subsistência. Jesus nunca teve a intenção de produzir ricaços e milionários com seus ensinamentos, caso contrário, não teria dito ao jovem rico: "Abandona tudo o que tens e segue-me”! Ou ainda: “As aves têm seus ninhos e as raposas têm suas tocas, mas o filho do homem não tem onde repousar sua cabeça”.
A alienação produzida pela ânsia de posses é tão forte e tão enraizada nas pessoas, que alguns pseudoteólogos chegam até mesmo a adulterar os ensinamentos básicos de sua religião, para conquistar adeptos, oferecendo-lhes algo que nem o próprio Jesus prometeu.
Numa sociedade carente e pobre, onde uma minoria tem demais, enquanto outros não ter nem o necessário para atender às necessidades básicas, as pessoas se tornam carentes e inseguras, tornando-se presas fáceis para espertalhões que exploram as carências e necessidades humanas.
A ânsia de ter é tão forte que até mesmo nossos sentimentos subjetivos deixam de ser uma ação da alma para se tornarem uma posse. Quando sentimos algo, costumamos dizer: “temos amor”, ou “temos ódio”. Ou alguém diz “tenho ciúmes” em vez de dizer “sinto ciúmes”. Dizem ainda “tenho sono”, em vez de dizer “sinto sono”!
Embora possa parecer apenas formas de expressão, demonstram até que ponto o ter se enraizou em nossas vidas, obstruindo o ser.
Sob o ponto de vista da sociedade consumista e aquisitiva, alguém que nada ter não é ninguém. As pessoas são avaliadas pelo que têm e não pelo que são.
Isso é a raiz da corrupção e da violência. Se para ser alguém, uma pessoa necessita ter algo, ela se torna capaz de fazer qualquer coisas lícita ou ilícita, caso contrário, estará condenada a ser ninguém.
E, sendo ninguém, nada tem a perder, a própria vida perde o significado para essa criatura.
E quando a própria vida perde o significado, a vida alheia se torna ainda mais insignificante.
Daí se pode perceber a causa profunda da violência no mundo moderno.
Por mais que se discuta sobre educação, assistência social e recuperação de criminosos, a violência não terá fim enquanto for alimentada de forma indireta pelos valores da própria sociedade.

domingo, 8 de julho de 2012

PESQUISA...



 tp://extra.globo.com/noticias/rio/pesquisa-mostra-que-numero-de-terreiros-cresceu-nas-ultimas-duas-decadas-20984.html#i

Clarissa Monteagudo
 
Eles nasceram Bruno de Souza, Renato Araújo e Aída Rodrigues. Mas a fé os transformou em Bruno de Omolu, Renato D’Ogunjá e Matambareuá de Yansã. Perseguidos desde os tempos de escravidão, os sacerdotes dos cultos afro vislumbram novo horizonte. E, cada vez mais, expandem suas raízes em solo fluminense. É o que revela o Mapeamento das Casas de Religiões de Matriz Africana do Rio de Janeiro, realizado por pesquisadores da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio).
O estudo revela que a maioria das 847 casas mapeadas foi fundada a partir da década de 90. O que contraria a previsão de estudiosos do campo religioso, que anunciavam um encolhimento do culto de matriz afro nos últimos anos. A crença, que resistiu aos navios negreiros, às senzalas e à repressão policial, também floresce em tempos de intolerância religiosa.
— Nenhuma casa foi aberta antes de 1930. A grande maioria é bem recente. Apesar de sofrer com o assédio das seitas, as religiões de matriz africana se fortaleceram na fé e aumentaram numericamente — explica a pesquisadora Denise Pini.
Por causa da pesquisa, babalorixás e ialorixás levam para as salas de aula da tradicional universidade católica seus conhecimentos ancestrais. E caminham junto às coordenadoras do projeto, Denise Pini e Sonia Maria Giacomini, entre os prédios da PUC, onde já houve até gira de jurema, culto inspirado nos índios de Pernambuco. Tolerância máxima.
— É um novo fazer acadêmico baseado no respeito. Todos os detalhes do mapa, cores e símbolos são discutidos com o conselho de religiosos — conta a pesquisadora da PUC Sonia Giacomini.
Responsável pelos cânticos sagrados da Casa do Perdão, templo umbandista fundado em 1999, o administrador André Meireles Gomes de Oliveira, de 33 anos, nasceu em uma família católica. Há dez anos, descobriu sua nova religião, sem conflitos. Ele conta com a aprovação e o interesse dos parentes, com quem divide o culto ao Evangelho em casa.
Para ele, o respeito da sociedade pode ser obtido em paz. E com base nas leis.
— Em virtude do processo histórico de preconceito, as religiões se mantiveram escondidas. Agora é a hora, não de se exibir, mas de valorizar, mostrar a religião para a sociedade e combater o preconceito — explica André.
Para a professora Cida Abreu, de 40 anos, o estudo lançou luz sobre religiões afro, muitas vezes, vítimas de preconceito:
— Por que ninguém olha estranho para a batina de um padre, para a Bíblia de um pastor, e comenta sobre as nossas roupas brancas? Essas perguntas têm que ser feitas. E afirma sua religiosidade:
— Quando você está na entrega total da sua fé, na espiritualidade, a discriminação é irrelevante.
E ponto final.
Litoral surpreende pesquisadores
Ao dar à luz o primeiro filho, Rosilda Duarte, de 44 anos, conta ter tido um pressentimento: seu menino teria "uma missão especial". Dois anos depois, segundo sua fé, a intuição de mãe seria confirmada: um babalorixá disse que, adulto, o garoto se tornaria pai de santo.
Histórias como a de Pai Bruno de Omolu colorem o mapa religioso do litoral do estado. Ele fundou, em 2008, seu terreiro na casa de veraneio da família, em Itaipuaçu, Maricá. Esse cenário surpreendeu pesquisadores, que não esperavam a presença significativa de casas afro na Baixada Litorânea.
— Eu morava em Icaraí, em Niterói, e tinha casa aqui em Itaipuaçu. Dei a terra para ele. Somos registrados. Por que temos que nos esconder? O movimento contra a intolerância ajudou muito. Todo mundo nasce com uma missão. Um dia descobre qual é a sua — defende Rosilda.
Método da pesquisa
Chamada de bola de neve, a metodologia da pesquisa é realizada em rede. Lideranças do culto afro foram contatadas e indicaram as casas a serem mapeadas. O universo de 847 não representa o total de terreiros do estado. Mas o estudo dessa fatia revela características gerais, como o engajamento na área social, principalmente no combate à fome, com distribuição de cestas básicas em áreas de pobreza extrema.
— Essa pesquisa foi uma dádiva — brinda Denise, após desvendar os caminhos da fé.

quarta-feira, 4 de julho de 2012

SOCIEDADE

Acredito que o artigo publicado na Revista VEJA seja útil para pais e educadores.


Sociedade

Surras podem aumentar as chances de transtornos mentais, diz estudo.

Por Kerry Sheridan
Pessoas que levaram surras na infância têm maiores chances de sofrerem de doenças mentais quando adultas, incluindo distúrbios de humor e ansiedade, além de problemas com o uso abusivo de álcool e drogas, revelaram cientistas nesta segunda-feira.
O estudo, liderado por pesquisadores canadenses, é o primeiro a examinar a relação entre problemas psicológicos e danos físicos, sem considerar agressões mais graves ou abuso sexual, para medir com mais eficácia os efeitos da punição física isoladamente.
Aqueles que apanhavam quando crianças tinham uma probabilidade entre 2% e 7% maior de sofrer de doenças mentais mais tarde, indicou a pesquisa na publicação americana Pediatrics, baseada em uma investigação com mais de 600 adultos dos Estados Unidos.
A taxa parece pequena, especialmente porque cerca de metade da população americana afirma ter apanhado na infância, No entanto, ela mostra que os castigos físicos podem trazer consequências futuras, dizem os especialistas.
"O estudo é importante porque sugere uma reflexão sobre a paternidade", afirma Victor Fornari, diretor da divisão de psiquiatria da criança e do adolescente do Sistema Único de Saúde Judaica de North Shore-Long Island, em Nova York.
A taxa "não é dramaticamente maior, mas é maior, o que sugere que o castigo físico é um fator de risco para o desenvolvimento de distúrbios mentais na idade adulta", disse Fornari, que não esteve envolvido no estudo.
Pesquisas anteriores já mostraram que crianças abusadas fisicamente tinham mais distúrbios mentais quando adultos, e têm mais chances de apresentar um comportamento agressivo que crianças que não apanharam.
Entretanto, esses estudos geralmente lidavam com abusos mais graves.
A pesquisa atual exclui abuso sexual e qualquer abuso físico que deixe hematomas, cicatrizes ou ferimentos.
Em vez disso, ele foca em outros castigos físicos, como empurrões, agarrões, tapas ou palmadas.
Dois a 5% dos entrevistados sofriam de depressão, ansiedade, transtorno bipolar, anorexia ou bulimia, o que pode ser atribuído aos castigos na infância.
Já 4% a 7% tinham problemas mais sérios, incluindo transtornos de personalidade, transtorno obsessivo-compulsivo (TOC) e dificuldades de raciocínio.
Os pesquisadores destacaram que o estudo não pode garantir que os castigos físicos tenham sido a causa das doenças em alguns adultos, e sim que há uma ligação entre as lembranças relacionadas a essas punições e uma maior incidência de problemas mentais.
Os participantes foram perguntados: "Quando criança, com que frequência você era empurrado, agarrado, estapeado ou levava palmadas dos seus pais ou de outro adulto que vivia na sua casa?" Os que responderam "às vezes" ou mais foram incluídos na análise.
Novas pesquisas poderão se aprofundar mais no assunto. Enquanto isso, o estudo serve para lembrar que existem outras opções para disciplinar as crianças, como o reforço positivo e a proibição de algum lazer, o que é mais aconselhado pelos pediatras.
"O fato é que metade da população (americana) apanhou no passado. Há maneiras melhores de os pais disciplinarem as crianças", disse Fornari.

segunda-feira, 4 de junho de 2012

SEM COMENTÁRIOS...

Sem comentários... Talvez. As conclusões são do leitor.
Com isto não quero dizer que as pessoas que dizem o que pensam, como dizem ou tarjeam, sejam literalmente todas: de opinião própria, forte personalidade revoltadas com o mundo etc etc



Os relacionamentos interpessoais podem ser repletos de altos e baixos. Entretanto, lamentavelmente, três coisas acontecem:
- o impor o próprio pensamento como sendo a única e incontestável verdade.
- o hábito de complicar as coisas simples de serem resolvidas
- a perniciosa mania de tudo levar para o lado pessoal, isto é, não concordou com as minhas ideias virou  meu inimigo.
- mesmo na discussão amigável entre dois velhos companheiros levar as divergências de opiniões ou ponderações sobre sua legitimidade, propósito ou maneira como foi obtida - para o lado pessoal.


Finalizando, entendo oportuno e pertinente reproduzir o texto abaixo autoria de Telmo Vieira publicado em: http://thelmovieira.blogs.sapo.pt/3580.html


HOMO HOMINI LUPUS EST!
“O HOMEM É O LOBO DO PRÓPRIO HOMEM!”
Este título é a tradução do pensamento do notável escritor latino Plauto (Sec. III) que em latim corresponde a ‘Homo Homini Lupus est’.
Já no primeiro livro da Bíblia, o Génesis, se diz em linguagem antropomórfica que Deus se arrependeu de ter criado o Homem (Genesis, cap. 6, vers. 6) apesar de, noutras passagens, se afirmar que o principal primata foi criado à imagem e semelhança de Deus, o que não é nada compaginável com o miserável comportamento humano, com milhões de vítimas a morrerem de fome ao lado duma sociedade de abundância que, por sua vez, também consente cinicamente que existam excluídos e pessoas sem abrigo ao lado de casernas militares cheias de sucata bélica.
Quase se pode afirmar que o Homem tem estado em guerra desde que apareceu. A História de Portugal, tal como a de tantos outros povos, está eivada de guerras, batalhas, e conflitos de toda a ordem. Infelizmente, até o Hino Nacional que, há anos, o Escritor Alçada Baptista lucidamente sugeriu que fosse alterado, apela ‘às armas…contra os canhões, marchar marchar! E tudo isto é cantado, por vezes, dentro da própria Igreja Católica por candidatos a cabos de guerra. Mas isso não é pecado! Pecado é usar o preservativo e gastar muito tempo a ler jornais ou a consultar a Net!..
Durante o sec. XX a Europa e outras partes deste mundo foram vítimas de ditadores ferozes que dizimaram milhões de pessoas inocentes. Logo em 1914 a 1ª Guerra Mundial chacinou cerca de 20 milhões de homens. Entre os quais muitos portugueses que nada tinham a ver com o conflito. Logo de seguida surgem os tristes papéis de Hitler, Estaline, Pol Pot, Mussoline, Franco, Salazar e tantos outros como Pinochet.
Tudo isto num século em que o Homem praticamente inventou o avião, o automóvel, a máquina a vapor, a lâmpada eléctrica, o telefone, a televisão, etc. etc. acabando por viajar até à Lua; feito que ainda hoje há quem não acredite tenha acontecido.
Este mundo tanto gera monstros como Hitler e quejandos, como corações cheios de amor como Gandhi, Luter King ou Teresa de Calcutá.
Hoje, porém, enfrentamos uma nova ameaça. Nunca acreditei nas razões invocadas por Bush contra o Iraque. Vimos então que os Inspectores nada haviam encontrado. Escrevi a esse propósito ao Presidente Bush que obviamente não respondeu.Hoje sim os EUA e todo o Ocidente têm um real e grave problema contra o qual não estão preparados dado o esforço de guerra até hoje quase inútil. A Democracia não se impõe à força; instala-se pela politização e pela educação cívica.
A ameaça de hoje, ao contrário do que dizem alguns analistas, é mesmo de natureza religiosa. O 11 .Setembro foi alimentado pelo fanatismo religioso. Aliás as guerras têm tido quase sempre interesses económicos, mas também motivações religiosas, como foi o caso da difusão da fé e do império português. Recentemente, basta analisar os discursos de Bush para se ver algum fundamentalismo de cariz bíblico. Também o Islão tenta apetrechar-se para atacar o Ocidente que há séculos os massacrou, e até hoje, não conseguiu resolver um problema tão simples como o conflito Israelo/Palestiniano.
Ora, um dirigente dum país com a força do Irão cujo curriculo é de reconhecido fanatismo, radicalismo e fundamentalismo no mundo muçulmano, tem de ser uma verdadeira ameaça para a cultura ocidental, capaz de terrorismo incontrolável a começar contra o estado de Israel que também não está isento de culpas.
O Ocidente tem neste momento uma verdadeira ameaça cujas dimensões são inimagináveis se não for travado atempadamente. O Irão tem um exército fanático constituido por muitos milhões de individuos suicidas, e se quisermos comparar o que é a lavagem ao cérebro duma nação, basta pensar na Alemanha de Hitler e dum modo geral todos os países que naquela altura afinavam pelo mesmo diapasão como Portugal.
Nestas circunstâncias a situação não pode ser comparada com o Iraque. Os EUA têm neste momento um verdadeiro problema que ultrapassa em muito as ‘Al Qaedas’.
Está a nascer uma hidra que, se lhe for permitido crescer, pode ser a génese duma verdadeira hecatombe à escala mundial..
Quem ler o Corão encontrará muitos versículos (alyas) nos quais Maomé estimula os seus fieis a liquidarem os adversários, do mesmo modo que subalterniza a mulher, tal como a Igreja Católica, e permite ao homem ter até quatro mulheres. .
Os EUA têm toda a razão ao pressionar a ONU no que concerne à tomada de medidas céleres e eficazes para não deixar crescer a hidra iraniana alimentada por ‘ayatolas’ que acumulam a politica ditatorial com a religião mais fanática e intolerante.
Estamos perante milhões de fanáticos capazes de se imolarem, se necessário, cheios de ódio contra a cultura ocidental constituída por infieis como a Igreja Católica lhes chamava na Idade Média.
Perante este cenário, ainda há deputadas europeias preocupadas com os aviões que passaram pelos Açores, cheios de terroristas ou potenciais terroristas, que até os da sua religião e raça matam todos os dias.
Estes políticos ficariam vacinados se ousassem aparecer na Argélia com o comportamento que têm em Bruxelas. Um fanatismo que mata os filhos só porque se afeiçoam a amigos estrangeiros, ou porque tiveram relações sexuais fora do casamento, logo dissiparia tais veleidades.
Quem está habituado a protagonismos não pode passar sem estar na ribalta, mesmo que seja fazendo o jogo daqueles que liquidaram mais de duas mil pessoas nas Torres Gémeas, em 11.Setembro.2001 cujo crime foi estarem a trabalhar.
Não lhes basta esse fanatismo, nem a condenação à morte de Salmon Rushied, nem o assassinato do cineasta Van Gogh, o 11 de Março em Madrid, etc.etc. Os militantes da Al Qaeda devem rir-se com os pruridos ocidentais dominados por direitos que lhes abrem as portas para as suas carnificinas.
Termino como comecei! Fazemos parte duma espécie altamente perigosa, capaz da autofagia mais hedionda!
Telmo Vieira